facebook
tweeter
login adm
08/10/2017 - 21:39 H
 

Choro, sacrifício e promessa: em casa, Valdivia reencontra..

Choro, sacrifício e promessa: em casa, Valdivia reencontra arena do Palmeiras

Na terça-feira, o Mago volta a campo na região onde viveu de 2010 a 2015. Titular do Chile, ele tenta classificação para a Copa da Rússia

Um jogador da seleção chilena sabe tudo o que ocorre na região da Arena do Palmeiras, palco da partida da próxima terça-feira contra o Brasil, válida pela última rodada das Eliminatórias da Copa de 2018. Com duas passagens pelo Verdão, a última encerrada em agosto de 2015, Valdivia estará em casa quando entrar em campo no duelo que vale a vida da sua equipe em busca de uma vaga no Mundial da Rússia.

E quando se fala em casa não é uma expressão para apenas identificar o passado alviverde do atleta. Próximo ao estádio, o camisa 10 do Chile fixou residência com a esposa e os filhos em um apartamento com vista para a moderna fachada da arena palmeirense.

Antes mesmo da inauguração do estádio, em novembro de 2014, Valdivia adquiriu um camarote no local. Além de receber a família e amigos em dias de jogos, o espaço foi utilizado para o lazer em dias de shows. Foi dali que ele, machucado após um período na seleção chilena, viu o Verdão ser derrotado pelo Sport no primeiro jogo da equipe de volta para casa. Semanas depois, a estreia do Mago no local foi marcante.

Sacrifício e alívio

O Palmeiras lutou contra o rebaixamento para a Série B do Campeonato Brasileiro até a última rodada do torneio de 2014. Na arena, contra o Atlético-PR, o time então comandado por Dorival Júnior precisava vencer para não depender de outros resultados na luta pela permanência na elite.

Durante a preparação da equipe na semana que antecedeu ao jogo, Valdivia sentiu um problema muscular. Principal nome daquela equipe, o chileno foi a campo no sacrifício - ele precisou receber uma injeção anestésica para atuar.

No fim, mesmo com o empate em 1 a 1, o Palmeiras permaneceu na Série A. E o Mago, aplaudido nos vestiários pelos companheiros, viveu um dia de herói. Com direito até a desabafo e lágrimas ao término da partida.

Despedida e promessa

Sem nenhum gol marcado no palco da partida desta terça-feira, Valdivia se despediu do Palmeiras de maneira tímida. Em agosto de 2015, ele recebeu a reportagem do GloboEsporte.com em seu camarote pessoal, na arena, para dar suas últimas palavras como atleta do Verdão.

Ali, falou sobre a frustração de não permanecer no clube e dos problemas enfrentados no relacionamento com o presidente Paulo Nobre e com o diretor Alexandre Mattos. Mas, em uma mensagem de desculpa e agradecimento aos torcedores, prometeu um retorno. Nas palavras do chileno, mesmo que com "um contrato de uma semana, jogar um jogo e me despedir".

Dois anos e dois meses depois, mesmo que vestindo uma camisa com cores diferentes, ele está de volta.

O duelo da próxima terça-feira será o sétimo do Mago na arena palmeirense. Pelo Verdão, ele atuou seis vezes no local, com duas vitórias, três empates e uma derrota.

GloboEsporte